BLW (BABY LED WEANING)- DESMAME GUIADO PELO BEBÊ

Por: Taís Dantas Morales *

O desmame não é um evento, e sim um processo que faz parte da evolução da mulher como mãe e do desenvolvimento da criança. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2009).
Sendo assim a introdução da alimentação complementar é o primeiro passo para o início do processo de desmame.

Segundo suas autoras o BLW não é um método e sim uma abordagem de introdução alimentar complementar.

Também é importante desmistificar que o BLW não é um método de alimentação, não é comer em pedaços não é comer com as mãos, isso é só o meio para que o bebê decida e regule a sua alimentação. (PADOVANI, 2015)

Segundo Rapley, Murkett (2016) no BLW, o bebê não vai engolir comida desde o primeiro dia, mas ele vai aprender a se alimentar de forma natural e supervisionada. A interação do bebê com o alimento permite com que ele haja de acordo as habilidades motoras presentes e em desenvolvimento.

Existem basicamente três abordagens principais em torno da introdução alimentar (PADOVANI, 2016)

• INTRODUÇÃO ALIMENTAR TRADICIONAL- o foco está na quantidade de alimento que deve ser ingerido pela criança e cabe ao adulto controlar esta ingestão. A introdução ocorre com alimentos pastoso.

• ALIMENTAÇÃO RESPONSIVA – o foco está na formação de hábitos saudáveis e na interação psicossocial. Introdução de alimentos pastoso, mas com uma relação ativa entre seu cuidador e o bebê. O adulto é visto como o mediador, facilitador e ajudante do bebê.

• BLW a alimentação é ativa responsiva, a introdução não passa por papas, o cuidador é visto como supervisor, ele disponibiliza os aspectos para que a alimentação ocorra. O bebê continua mamando, até ele não querer mais.

Parecem ser dois os principais receios dos pais quanto ao método:

OS ENGASGOS

De forma protetiva podemos dizer que os bebês por volta dos 6 meses ainda possuem o reflexo de gag presente, tendo em vista que estarão sendo supervisionados por cuidadores/pais o risco de se engasgar com um sólido seria o mesmo que para água ou papa.

NÃO CONTROLE DA QUANTIDADE INGERIDA

Se é verdade que o bebê não vai engolir desde o primeiro dia, também é fato que ele está em um processo e ainda recebe aleitamento como outra fonte de nutriente.

O BLW segundo suas autoras Rapley, Murkett (2016) é uma abordagem que possibilitará com que o bebê se alimente de forma natural e junto a sua família, com um mesmo tipo de alimento, aproveitando da interação social.

BENEFICIOS

Entre os benefícios citados por suas descritoras estaria a variação e percepção dos reais sabores dos alimentos, tendo em vista que os alimentos são oferecidos inicialmente por separado e não misturado. Bem como auto regulação.

Padovani (2015) ainda afirma que existe uma percepção dos atos e ações do ato, bem como uma estimulação sensório motor além de um desenvolvimento de uma integralidade.

Na abordagem BLW o bebê deve se alimentar junto a família, comendo a mesma comida que os adultos, mas em uma apresentação que ele possa manipular, sendo uma atividade social e psicossocial importante.

DESVANTAGENS

Como a alimentação será um momento de aprendizagem e exploração a sujeira é quase que inevitável.
Pais muito ansiosos podem ter dificuldade de confiar que seus bebês saberão se autorregular.
Os horários das refeições podem ficar um pouco mais extensos.

QUANDO O BEBÊ PODE COMEÇAR O BLW?

O bebê precisa apresentar um desenvolvimento típico para a idade, preferencialmente nascidos termos, que consigam sentar e manter a coluna e pescoço levantados sozinhos e já tenham a intenção de levar coisas a boca.

Todos o processo de aplicação do BLW ou mesmo de outra abordagem de introdução alimentar, deve sempre levar em consideração as habilidades e individualidades de cada bebê.

Lembre-se que se o bebê não está comendo, ele pode estar dando um sinal de que ainda não está preparado para esta fase.

PONTO DE VISTA

A abordagem BLW de introdução alimentar inicialmente complementar oferece a possibilidade de o bebê explorar, dentro de suas possibilidades, o entorno que o cerca além de desenvolver a ação e reação também durante as refeições, através de estimulação oculomotor e da motricidade global e fina.

Ativa a percepção e reconhecimento dos sabores individuais dos alimentos, que seriam impossíveis nas papinhas combinadas com vários legumes amassados.

Oferece uma alimentação que propicia uma maior resistência da musculatura facial devido ao desenvolvimento da mastigação de alimentos sólidos.

O BLW visa a autonomia do bebê bem como sua autorregularão, alivio em tempo de fast food, indo na contramão, sendo considerado um tipo de slow food, desenvolvendo uma melhor interação com a alimentação poderia chegar a ser no futuro comprovado que estas ações melhorariam a relação com os alimentos diminuindo os distúrbios alimentares na fase adulta, fica a dica para pesquisas futuras.

Entretanto os pais ou responsáveis podem criar adaptações que levem em conta a sua realidade e as do seu bebê, incorporando orientações do BLW , mas levando sempre em consideração os pontos de segurança e saúde geral. Porém quando cada família implementa suas adaptações, não podemos mais afirmar que a abordagem de introdução alimentar seja o BLW. Pois para ser considerado BLW todos os quesitos devem ser seguidos em sua totalidade.

CHAVES PARA O SUCESSO NO BLW:
• Participar das refeições em família,
• Assegurar que o bebê está no controle.
• Sempre supervisione o bebê
• Comida somente sentado e sem distração
• Critérios básicos de segurança manter o bebê sentado, assistir o bebê enquanto come, checar alimentos perigoso e adaptar os cortes oferecidos quando necessário.
• Confie no seu bebê
• Não se preocupe com a bagunça, sujeira, desperdício
• BLW não é um método rápido
• Não é para todas as mães nem para todos os bebês leve em conta a individualidade de cada um.

*Taís Dantas Morales é Fonoaudióloga desde 2009, pós-graduada em Disfagias Orofaríngeas, pós-graduanda em Psicopedagogia e discente no curso Tec. em Nutrição. Atualmente Clínica e da Consultoria. Gosta de abordagens em temas educacionais e de saúde.
Contato: tais_fono@yahoo.com.br

 

REFERÊNCIAS

Ministério da saúde. Saúde da criança: Nutrição Infantil. Aleitamento materno e alimentação complementar. Caderno de atenção Básica n° 23. Brasília. 2009.
Sociedade Brasileira de pediatria. Manual de orientação departamento de nutrologia. 3° edição revisada.2012. http://www.sbp.com.br/pdfs/Aleitamento_Complementar_MS.pdf
WHO Complementary feeding. e-Library of Evidence for Nutrition Actions (eLENA). <http://www.who.int/elena/titles/complementary_feeding/en/>. Acessado em: 17 nov. 2016.
GARCIA, Z. GUIA FACIL PARA INTRODUÇÃO ALIMENTAR USANDO O MÉTODO BLW: Baby-led Weaning. In: Grupo Virtual De Amamentação 2014 Disponível em: <https://www.facebook.com/notes/grupo-virtual-de-amamenta%C3%A7%C3%A3o/guia-facil-para-introdu%C3%A7%C3%A3o-alimentar-usando-o-m%C3%A9todo-blw-baby-led-weaning/829031033815929/>. Acessado em: 17 nov. 2016.
Alimentación Complementária. In: Organizacion Mundial de La Salud- Nutrición. Disponível em: <http://www.who.int/nutrition/topics/complementary_feeding/es/ >. Acessado em: 17 nov. 2016.
PADOVANI, A. Aula introdutória do curso avançado em BLW. Publicado no youtube. 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=v3vNRxhvvoY>. Acessado em: 16 de nov. de 2016.
RAPLEY, G; MURKETT, T. A Cup of Tea with Gill Rapley and Tracey Murkett- Baby-Led Weaning, What’s it all About? In: Charlotte and Louise. 2016. Disponível em: <http://www.charlotteandlouise.co.uk/single-post/2016/06/20/A-Cup-of-Tea-with-Gill-Rapely-and-Tracey-Murkett-BabyLed-Weaning-Whats-it-all-About>. Acessado em: 17 de nov. de 2016.
RAPLEY, G; MURKETT, T.Baby-led Weaning: Helping Your Baby To Love Good Food.Vermilion Inglaterra, 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *